A ciência cidadã é uma oportunidade única para gerar informações sobre peixes e águas na escala da Bacia Amazônica, e envolver os cidadãos como partes interessadas informadas e empoderadas para o manejo sustentável da pesca e a conservação das áreas úmidas da Amazônia.

Foto: Diego Pérez/WCS
Foto: Diego Pérez/WCS

Ciência Cidadã para a Amazônia é uma rede de organizações que colaboram para empoderar os cidadãos e gerar conhecimento sobre os ecossistemas aquáticos e peixes na Bacia Amazônica: o maior sistema de água doce do mundo


NOTÍCIAS

 17 de novembro del 2020

O que há de novo nos dados de Ictio 

Em 30 de setembro de 2020, Ictio tem 38 001 observações em 20 089 listas compartilhadas por meio do aplicativo e da plataforma web. Este é o resultado do trabalho de 240 pessoas e instituições compartilhando dados. Esses dados vêm de 148 sub-bacias da Amazônia, o que representa 74% do total das 199 sub-bacias nível BL4 (de acordo com Venticinque et al. 2016 (disponível em inglês). Representa apenas 620 observações a mais (um aumento de 2%) em comparação com os dados de 3 de julho de 2020. O efeito da pandemia COVID-19 está sendo sentido.

 



 9 de novembro del 2020

Piraíba, um gigante pouco conhecido

 

A piraíba (Brachyplatystoma filamentosum) é um peixe gigante que pode atingir 3,6 metros e chegar a 200 kg, é o maior bagre da Amazônia. Existem muitas histórias sobre seu comportamento. Por exemplo, dizem que as piraíbas gostam de virar as canoas dos pescadores. Stradelli, no seu Vocabulário Nheengatu -  Português de 1929 (p. 608), conta que seu nome poderia vir daí:  Pira = Peixe; ayua = Ruim. De outro lado, o ”ruim” poderia referir-se ao gosto pouco apreciado da sua carne. Além disso, há histórias que dizem que a piraíba seria a mãe de todos os peixes.

 

Pescador de pé em uma canoa em um rio tranquilo, com uma piraiba quase tão grande quanto ele na frente e um feixe de bananas atrás